Cinema

O filme mais feliz do mundo

lilyjames-merylstreep_d603a4b8d06ad2b96481d40ce5966af8f05ea256

Don’t stop me now foi considerada a música mais feliz do mundo, aquela capaz de despertar as melhores sensações em quem ouve. Isso é subjetivo, mas não é absurda essa conclusão, porque a música do Queen é realmente uma maravilha. Pois se eu tivesse que escolher o filme mais feliz do mundo, grandes chances de ser o Mamma Mia, ou melhor, os Mamma Mia, 1 e 2. Poucos filmes podem trazer sentimentos e sensações tão boas. Assisti o segundo no fim de semana (3 vezes!) e fiquei tão feliz como quando vi o primeiro.

Li alguns comentários ao filme (2) e há várias críticas. Mas o que pode ser mais interessante e menos relevante ao mesmo tempo do que crítica de cinema feita por quem “entende do assunto”? Critica-se a falta de continuidade, os erros cronológicos, a falta de profundidade etc. etc. etc. Fosse um filme mais denso, como gostam de dizer os entendidos, até daria pra considerar essas críticas, mas o filme é entretenimento puro, não é pra provocar reflexões sobre a condição humana, embora algumas sejam bem possíveis.

O elenco é maravilhoso. Colin Firth é um grande ator, Cher e Meryl Streep, que fazem apenas aparições pequenas, são deusas, Amanda Seyfried é um talento desde criança, e por aí vai. Mas a interpretação de Lily James é um caso à parte. Nunca tinha reparado nessa atriz, mas ela realmente rouba a cena. Vê-la como Donna é praticamente ver a Meryl Streep alguns anos mais jovem no mesmo papel.DilQ-IiUYAAp-uT.jpg

Os trejeitos, as expressões, o jeito de andar, tudo é uma perfeita recriação da personagem. A cena em que ela levanta da mesa e vai correndo pro banheiro, no primeiro enjoo da gravidez, mostra que a atriz estudou todos os detalhes da interpretação da Meryl Streep. E além de tudo, a interpretação que ela faz das músicas é excelente. Enfim, apenas a atuação dessa guria já valeria o filme, mas o momento em que a Sophie olha os barcos chegando e dois dos seus pais brincando de Titanic, ao som de Dancing Queen, é uma cena pra ser vista dezenas de vezes sem cansar.images

Não sou crítico de cinema e não tenho as habilidades e as habilitações que permitem ver detalhes que precisam ser vistos (ou não) numa análise técnica, mas gosto de cinema, gosto de música e, sobretudo, gosto de me sentir bem vendo um filme. E fazer com que as pessoas se sintam bem é um atributo inegável deste Mamma Mia 2, assim como é do 1.

Assistam!

images (1)

Padrão